Como conseguir o sustento necessário para ir ao SoloUno?

Olá! Estamos na expectativa de algo muito especial que vai acontecer na Cidade do Panamá este ano… No mês de Julho o Congresso Estudantil Solo Uno (Só1o) vai mobilizar milhares de universitários da América Latina em torno de um objetivo: formar movimentos espirituais e alcançar todas as universidades da América Latina e do Caribe. E pensar em ir a um evento desse porte esbarra em algo que se apresenta como principal impeditivo de desfrutarmos da realização desta jornada… Isso mesmo, dinheiro! Em geral os estudantes da Cru Campus sabem que isso na verdade não é um problema, pois Deus é a fonte de todas as coisas e dEle provêm TODOS os recursos que precisamos. Mas, se você ainda não se sente tão seguro em relação ao cuidado de Deus e que ele pode fazer com que todo o recurso financeiro do qual você necessita seja levantado, preste atenção em algo que gostaria de compartilhar com você.
Desde janeiro de 2011 tenho participado dos Projetos Missionários de Verão da Cru Campus. Meu primeiro projeto foi na cidade de Piracicaba/SP, e esta foi a minha primeira experiência de levantamento de recursos. Neste mesmo ano rolou o Congresso da Cru Campus em Salvador/BA, onde foram apresentados os Projetos de Verão de 2012 e lá fiquei sabendo que um dos destinos direcionados por Deus era a Itália. Há alguns meses antes do Congresso já estava latente em meu coração um desejo e uma compaixão enorme pelo continente europeu. Era clara em minha mente uma conexão entre a realidade que eu vivenciava na UERJ – onde me formei – e aquele lugar distante. Vi que, ao longo dos anos, Deus foi me agregando elementos socioculturais que me fizeram ver o quanto uma experiência missionária naquele lugar poderia impactar vidas, inclusive a minha. E foi aí então que um grande desafio começou. Meu coração estava certo que Deus me levaria até lá, mas, como? Bem, da mesma forma como ele havia me ajudado a ir à Piracicaba!
Lembro que precisava levantar cerca de € 2,300.00 (pouco mais que R$ 6.000,00 na época) e aproximadamente três meses. Apenas. Além de estar constantemente em oração por esse propósito, algumas ações obviamente foram tomadas: era hora de colocar a mão na massa e ver Deus agindo através disso tudo. Para que esse valor fosse levantado, contei principalmente com a ajuda de pessoas – conhecidas e até mesmo desconhecidas – que se comprometeram a ajudar e a participar juntamente comigo nessa empreitada. Resolvi escrever uma carta explicando sobre o projeto, falando sobre o desafio que ele representava para mim e que não poderia vê-lo se realizando se eu estivesse sozinho. Entreguei uma cópia da carta para muitos amigos, para irmãos da minha igreja local, para irmãos de uma outra igreja que conhecia, para meus parentes (a maioria deles não convertidos) e até mesmo pra gente que não conhecia pessoalmente, hehe! As pessoas se sentiam honradas em poder fazer parte disso e depositavam o valor com o qual se comprometiam ajudar. Houve até dinheiro que apareceu na minha conta e eu nem sabia de quem era! Deus nos surpreende muito nessa experiência de levantamento de sustento. Outra ideia que colocamos em prática – eu e minha família aqui em casa, porque todo mundo se envolveu de alguma forma – foi realizar dois almoços missionários em minha igreja. Lembro-me de que convidei muita gente; fiz uso das redes sociais, criei material pra divulgação na internet, enfim… Eu sei é que em um desses almoços foram levantados praticamente uns R$ 1.000,00. Inacreditável! Pra resumir a história toda, eu com muita insegurança – mas com muita fé – ia ousadamente falando com mais e mais pessoas que se comprometiam em ajudar, o dinheiro ia aparecendo na conta, muitas pessoas se envolvendo na atmosfera dessa aventura e, aí… Aí é que o sustento foi levantado antes do fim do ano. WOW! Na verdade, foi levantado mais do que o estipulado. Deus foi maravilhoso! Com este valor a mais eu ainda pude investir na ida de outros amigos de outros Estados que estavam indo pra Itália junto comigo.
O que eu posso dizer é que essa foi a maior aventura de fé da minha vida. Eu acho que eu gostei tanto da aventura – e claro, me maravilhei tanto com o que Deus fez através de mim e em mim nos dias que vivi na Itália – que acabei voltando pra aquele país no ano seguinte, em mais um Projeto de Verão da Cru Campus. A experiência foi ainda mais desafiadora devido ao aumento do valor do euro que nos proporcionou uma experiência de levantamento de sustento mais árdua e mais gratificante. No entanto, assim como em 2011, Deus me ajudou mais uma vez a participar de um desafio missionário internacional.
Sei que escrevi bastante, mas meu desejo é que você possa olhar para o desafio de ir para o Só1o como algo possível de ser realizado. Deus me levou duas vezes para a outra parte do mundo e, na verdade, tudo que eu tinha era um coração apaixonado por ver um impacto espiritual acontecendo na vida de universitários europeus e um desejo inexplicável de ver Deus sendo glorificado através e na minha vida. E, certamente, esse é o propósito primeiro do Só1o: a adoração a Deus. Creio que ele não é um fim; a Cidade do Panamá não é o nosso destino final e mais desejado: é um ponto de partida para que toda a América Latina seja contagiada com o desejo de ver movimentos espirituais emergindo em cada canto. Que o temor diante de alguns muitos números acompanhado de um $ não seja aquilo que te impeça de glorificar a Deus e fazer parte dessa visão. Creia que Deus é soberano e que Ele é a fonte, tudo é dEle. E, por fim, espero que um dia você possa contar uma história que nem essa que te contei e assim inspire outras a pessoas a confiarem no cuidado e na fidelidade do nosso querido Pai.
Sanderson A. Moreira se formou em Física pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e atualmente é Mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciência, Tecnologia e Educação do CEFET/RJ. Foi líder da Cru Uerj e hoje atua como um dos líderes na Universidade Veiga de Almeida no Maracanã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *