William L. Craig: a física e o folheto “As Quatro Leis Espirituais”

William L. Craig: a física e o folheto “As Quatro Leis Espirituais”


Muitos anos atrás estávamos na Alemanha em um programa de bolsa de pesquisa quando conhecemos uma física polonesa que ali estava em situação parecida com a nossa. Ela nos disse que a física havia destruído sua fé em Deus e que a vida perdera o sentido para ela. “Quando olho para o universo, só vejo trevas”, disse, “e quando olho dentro de mim, só vejo trevas”. (Que declaração mais pungente da condição humana atual!).
 
Bem, nesse momento Jan disse: “Você deveria ler a tese de doutorado do Bill. Ele usa a física pra provar que Deus existe”. Emprestamos a ela minha dissertação sobre o argumento cosmológico. Nos dias que se seguiram, ela foi ficando cada vez mais empolgada. Ao chegar à seção em que eu discorria sobre astronomia e astrofísica, ela ficou eufórica. “Conheço os cientistas que você cita!”, disse ela admirada. Ao concluir a leitura da dissertação, ela havia recuperado a fé. “Obrigada por me ajudar a crer que Deus existe”, disse.
 
Perguntamos a ela: “Você gostaria de conhecê-lo de um modo pessoal?”. Combinamos então de nos encontrar à noite em um restaurante. Enquanto isso, preparamos de cabeça uma versão manuscrita do folheto “As Quatro Leis Espirituais” (um folheto evangelístico que explica o Plano de Salvação).
 
Depois de jantarmos, abrimos o livreto e lemos para ela: “Assim como há leis físicas que governam o universo físico, há também leis espirituais que governam nosso relacionamento com Deus…”
 
“Puxa, leis físicas! Leis espirituais!”, disse ela empolgada. “Isso é para mim!”. Quando chegamos aos círculos no final representando duas vidas e indagamos qual deles representava a sua, ela pôs a mão sobre os círculos e disse: “Isso é muito pessoal. Não posso responder agora.” Nos a incentivamos a levar o folheto para casa e a entregar sua a vida para Cristo.
 
No dia seguinte, quando nos encontramos, seu rosto brilhava de alegria. Ela nos disse que havia ido para casa na noite anterior e, na intimidade do seu quarto, orara para receber a Cristo. Em seguida, jogou pelo ralo do banheiro o vinho e os tranquilizantes de que dependia havia anos. Ela era agora uma pessoa totalmente transformada. Demos a ela um exemplar de “Good news for modern man” [Boas Novas para o homem moderno] e explicamos a importância de cultivar uma vida devocional com Deus. Depois, ficamos vários meses sem nos ver. Quando nos encontramos novamente, ela continuava entusiasmada com a fé e os bens mais preciosos que possuía eram a Good News Bible [Bíblia da Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH] e o exemplar escrito à mão das Quatro Leis Espirituais. Foi uma grande vitória para Deus. Esse foi um dos exemplos mais vívidos de como o Espírito Santo usa argumentos e evidências para levar alguém ao conhecimento salvador de Deus””.
 

Trecho retirado do livro “Apologética Contemporânea”. 
William Lane Craig, Editora Nova Vida, p. 185-186.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *